Brasilidade a toda provaPostado em: 11/08/2011

A maior feira de mobiliário da América Latina apresentou novidades no setor de móveis, utilitários domésticos e acessórios, deixando evidente que o design brasileiro está no caminho certo para se consolidar internacionalmente

Por Camila Ochoa Fotos Evandro Soares

http://revistadcasa.uol.com.br/ESDC/Edicoes/52/artigo235408-1.asp

Em sua 3° edição, a Casa Brasil, feira internacional e bianual que aconteceu durante cinco dias em Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul, é referência no setor moveleiro da América Latina. O evento reuniu 180 expositores do setor e trouxe novidades em móveis, acessórios e design.

Em meio a tantas inovações e debates com enfoque comercial fica evidente que o design brasileiro vem caminhando a passos largos para ser reconhecido mundialmente. Para o designer carioca Fred Gelli, um dos palestrantes do evento, faltam horas de voo para o design brasileiro. “O Brasil é muito criativo, sabemos fazer muito com pouco e, se o mundo estiver aberto a isso, o país pode se tornar uma referência na área”, diz.

Em termos de conceito, a preocupação com o aproveitamento total dos materiais na confecção de móveis foi um dos destaques. O uso das cores primárias também chamou a atenção. Além disso, a feira reuniu palestrantes conceituados, que deixaram suas impressões sobre design e indústria brasileira. Como foi o caso dos designers internacionais Konstantin Grcic, da Alemanha, Riccardo Blumer, da Suíça, e dos brasileiros Renato Imbroisi e Fred Gelli, diretor de criação da Tátil Design de Ideias.

Nas próximas páginas reunimos os destaques da feira, que aposta em muita cor, madeira e formas que prometem projetar o país internacionalmente.

Divertidos
Móveis lúdicos e cheios de imaginação também estiveram em evidência na feira internacional. Formas e cores irreverentes chegam como alternativa aos móveis habituais.

1 . Ideia funcional
Do Estúdio Concreto, projeto realizado pensando na integração entre designer e indústria, surgiu a parceria entre o Studio Jahara e a marca St. James. A dupla lançou a série limitada de mesas Liquify, de metal espelhado, em três tamanhos diferentes. Os tampos das mesas também podem ser utilizados como bandeja ou espelho.
2 .Para jogar?
A mesa de canto Play with me, do designer Luiz Pedrazzi, reúne em uma peça contemporânea uma coleção de peças de dominó em preto e vermelho, trazendo um design divertido e inusitado.
3 .Estilo futurista
Em laranja vibrante, a poltrona Inner, da marca Punto Móbile, alia ao design clássico dos anos 1960 um estilo futurista, que remete a uma nave espacial. Com base giratória em alumínio, a estrutura é produzida em fibra de vidro.

4 . Entrelinhas
Novidade na linha Híbridos, a mesa de centro redonda foi desenhada pelo designer José Marton para a Allê Design. Utilizando acrílico listrado, a linha ganhou um ar atemporal, com a padronagem Entrelinhas exclusiva.
5 .Design diferente
A designer Luciana Gonzáles Franco apresentou uma proposta criativa, que mereceu o prêmio Profissional na categoria iluminação. A peça Astrid e las Olivias foi feita a partir da reciclagem e da utilização de elementos já disponíveis no mercado.

Plásticos
Produzidos a partir de compostos químicos, os móveis em polipropileno, metacrilato e acrílico não ficaram de fora. Versões das peças em cores vivas e formas incomuns e versáteis tomaram conta da feira.

1 .Clássico moderno
A barroca poltrona Proust, criada pelo designer Alessandro Mendini, em 1978, foi repaginada e ganhou roupagem moderna e colorida. A “Magis Proust”, da Magis, é produzida em polipropileno. Material químico termoplástico que pode ser moldado usando-se apenas aquecimento, alguns de seus benefícios estão no baixo custo, fácil coloração e moldagem e possibilidade de reciclagem.
2 . Pedra preciosa
Do estúdio Nada Se Leva, dos designers Guilherme Leite e André Bastos, o banco Diamante foi inspirado na beleza e singularidade da pedra preciosa. Segundo o designer Guilherme Leite, “a peça nasceu da vontade de criar um móvel em metacrilato maciço. Da mesma forma que um diamante, o banco é lapidado”.
3 . Lima-limão 
Com base de madeira e traços sofisticados, a cadeira Jazz, da Punto Mobile, possui encosto em metacrilato com recorte a lazer, que dá um ar atual ao móvel. O material usado proporciona às peças um acabamento mais requintado, além da multiplicidade de cores. Diferentedo acrílico, o metacrilato tem um lado fosco.
4 . Cilíndrico
A linha de vasos Kony foi destaque da nova marca carioca Punch, com design do Studio Zanini de Zanine. A marca surge da junção da arte com a tecnologia de rotomoldagem. Além disso, os produtos são produzidos com matéria-prima sustentável, como o vaso executado em polietileno reciclado.
5 . Como palha
O Banco Cata-vento, projetado pela arquiteta Flávia Pagotti Silva é composto em quatro peças iguais de acrílico, material termoplástico, com reciclagem viável e baixo custo. Moldadas e entrelaçadas, a trama formada pelo acrílico faz referência aos tramados dos assentos tradicionais de palha.



Garibaldi - RS - Brasil +55 (54) 3462.1802

LinkedIn Facebook Instagram Pinterest